Modo de edição: Ativado.

(sair)

Maternidade e trabalho: mulheres criam outra carreira após a chegada dos filhos

Notícias

Maternidade e trabalho: mulheres criam outra carreira após a chegada dos filhos

 4 jun 2018
Imagem: Unsplash.com
Esse semana, eu, Luísa, tive minha história de maternidade empreendedorismo digital compartilhada na Revista Vida Natural. Ler sobre tudo que compartilhei e todas as questões às quais respondi me fizeram lembrar o quanto essa história não é só minha. Muitas mulheres, que tem oportunidade, podem reavaliar sua carreia e adaptar em função da maternidade. Outras, e muitas, ainda sofrem muito em função das dificuldades de manter o emprego e se dedicar aos filhos. Outras trabalham com muita culpa de estar longe. Outras querem empreender para tentar fugir de um mercado cruel com as mães. Outras ainda empreendem na precariedade da falta de rede de apoio e dedicação ao trabalho, em função da maternidade. Muitas histórias, muitas questões.   Eis que recebo o contato da jornalista Carol Sperb sobre mães que mudaram de carreira para outras áreas bem diferentes em função de repensar seus trabalhos com a chegada dos filhos. Gostei e quero compartilhar. Ninguém pergunta ao pai como ele vai conciliar a carreira e a paternidade, mas ainda e SEMPRE pergunta-se isso em uma entrevista de emprego.   Para nós mães, não é fácil conciliar a vida pessoal, profissional e familiar. E isto já foi o motivo de muitas mulheres desistirem de suas carreiras. Hoje, essa não é a realidade. No que diz respeito a empreender, o público feminino está a frente. De acordo com o anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras das Micro e Pequenas Empresas, divulgado pelo Sebrae e o Dieese, em 2016, em 11 anos, o número de mulheres empreendedoras e chefes de famílias saltou de 6,3 milhões para quase 8 milhões no Brasil, um crescimento de 25%. E os setores em que elas mais investem são os de comércio e serviços: 71,5%.   – No comando da churrasqueira: aos 28 anos e já com duas filhas, Nana Oliveira decidiu largar o antigo negócio e realizar o sonho de se tornar chef. Mudou com a família para Balneário Camboriú (SC), cursou gastronomia e hoje, grávida de dois meses do terceiro filho, conquista os clientes através de suas criações inusitadas de hambúrgueres. Em 2015, quando inaugurou sua primeira casa especializada no prato em Blumenau (SC), precisou ampliar o local com apenas sete dias de funcionamento. No ano passado, ela lançou um novo negócio, uma versão da hamburgueria que está servindo de teste para criar sua franquia. Numa cidade com 300 mil habitantes, ela vende cerca de 400 hambúrgueres por dia.   – Do serviço social para a TI: ao perceber que o marido precisava de apoio na área administrativa da empresa recém-fundada, a assistente social Irene da Silva Ribeiro tirou a licença da qual tinha direito para se dedicar ao empreendimento. Deu tão certo que foi convidada a empreender junto do companheiro, enquanto ambos conciliavam a nova vida de trabalho, a rotina familiar a ainda tinham pela frente o desafio de educar a filha que tinha acabado de chegar, Isabela. Além de colocar as contas em dia lá no início, treze anos depois Irene é diretora da Ellevo, de Blumenau (SC), que atua no setor de tecnologia da informação e ainda tem tempo para acompanhar a adolescência da filha.   – Inspiração neles: o otimismo é a marca registrada da Erica Debossan Reinert. Cercada por homens – além do marido ela tem dois filhos pequenos – ela se inspira neles para uma visão prática sobre as coisas. E foi pensando neles que ela iniciou um novo negócio há dois anos: saiu de uma empresa onde estava há 15 anos para abrir um negócio que tivesse mais a sua cara. Trouxe o dinamismo que a rotina com os filhos exige para o comércio exterior e conta com o apoio das avós dos meninos para gerenciar viagens.
-->